Pular para o conteúdo

Um afiliado de sucesso precisa se organizar e ter um maior controle das ações que realiza. E, por isso, uma estrutura própria é o caminho para alcançar boas vendas.

Além disso,é necessário entender que a organização e monitoramento são extremamente importantes para que o trabalho seja ainda mais efetivo.

Por que ter uma estrutura?

Uma estrutura se faz necessária a partir do momento que você entende que ser um afiliado não é um trabalho extra. É preciso encarar este mercado com a seriedade que ele merece. Afinal, os ganhos podem ser enormes, ou seja, comprometendo regularização do negócio para empresa.

Sendo assim, existem diversas estruturas que podem te ajudar a alcançar o sucesso. Porém, você precisa entender que o seu mindset para colocar isso em prática precisa ser de crescimento.

Entenda que o seu negócio sempre pode melhorar. E é para isso que existe a estrutura.

Vamos entender todas as estruturas necessárias para um afiliado de sucesso

Como falamos anteriormente, existem algumas estruturas que você deve colocar em prática, a partir do momento que você deseja ter sucesso neste mercado.

1. Contábil e Jurídica

A primeira estrutura que você precisa pensar é na sua empresa. Você não pode deixar para segundo plano a legalização do seu negócio.

Isso porque você corre o risco de receber multas e grandes impostos. E pode até perder a sua empresa por este motivo.

Sendo assim, veja o que você precisa fazer para estar de acordo com a legislação:

  • Enquadramento de Porte

 O Enquadramento de Porte está ligado diretamente ao faturamento anual e quantidade de funcionários que sua empresa poderá ter. Por isso, você deve fazer uma previsão de quanto seu negócio poderá faturar em um ano, para saber qual enquadramento escolher.

O primeiro deles, você já deve conhecer, é o MEI, ou Microempreendedor Individual. Esta é uma excelente forma de começar o seu  empreendimento, caso seu faturamento anual não ultrapasse o limite de 81 mil reais.

Assim, neste enquadramento, você poderá contratar até um funcionário.

Outro tipo de enquadramento é a Microempresa ou ME. Nessa modalidade, o seu negócio poderá faturar até 360 mil reais anualmente. Ainda, poderá contratar até 9 funcionários.

Já o último enquadramento é a Empresa de Pequena de Porte, ou EPP. Neste tipo, o limite de faturamento anual é de quatro milhões e oitocentos mil reais. E podem ser contratados até 19 funcionários.

  • Tipo Societário

O tipo societário determina como é organizada a Empresa em torno de seus sócios e a responsabilidades deles com o Negócio.

O primeiro deles, que também é um tipo de enquadramento, é o Microempreendedor Individual ou MEI, que já falamos aqui. Neste tipo, não há necessidade de se ter um sócio. Entretanto, você responderá com os seus bens pessoais caso a sua empresa não pague as dívidas por ela contraídas.

Assim, é importante que você lembre que o registro do MEI é gratuito e pode ser feito pela internet. Ou seja, basta você acessar o site e se cadastrar.

O segundo tipo societário que você pode optar é o Empresário IndividualAssim como o MEI, não há necessidade de se ter sócios para esse tipo. E você também responde com seus bens pessoais no caso de dívidas não pagas.

A diferença entre eles é que, no MEI, o único tipo de enquadramento possível é aquele com limite de oitenta e um mil reais por ano.

Já o terceiro tipo societário é a EIRELI, ou Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Basicamente, não há muitas diferenças entre este tipo e o Empresário Individual. 

A vantagem é que com a EIRELI, o empreendedor não responde com seus bens caso a empresa tenha dívidas vencidas e não pagas.

Mas para isso, é necessário integralizar um capital de 100 vezes o valor do salário mínimo vigente. Isto quer dizer que você precisa ter, de forma comprovada, esse valor  em bens ou em conta de titularidade da empresa.

O último tipo societário que vamos falar é a Sociedade LimitadaDiferente de todos os outros tipos que falamos anteriormente, neste há necessidade de se ter, ao menos, um sócio.

Assim, como na EIRELI, você e seu sócio terão de integralizar o capital da sociedade. A diferença é que aqui não há valor mínimo exigido. Uma vantagem deste tipo societário é que os bens dos sócios não são impactados caso a empresa adquira dívidas e não as pague.

  • Enquadramento Tributário

Ao abrir sua empresa, é muito importante analisar qual o melhor enquadramento tributário para adequar a contabilidade. Entre outras vantagens, essa é uma forma de evitar pagar impostos acima do que a lei prevê.

Basicamente, existem três tipos de enquadramento tributário.

O primeiro deles, o Simples Nacional, é um regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos aplicável ao MEI, Microempresas, e Empresas de Pequeno Porte que faturam até três milhões e seiscentos mil reais ao ano.

O Simples Nacional abrange os seguintes impostos: IRPJ, IPI, CSLL, Cofins, PIS, CPP, ICMS e ISS. O pagamento ocorre mediante um documento único de arrecadação, o DAS.

As tabelas do simples nacional se dividem na seguinte forma, de acordo com as atividades e alíquotas:

  • Tabela I – Para empresas de Comércio – Inicia a tributação em 4%;
  • Tabela II – Para empresas de Indústria – Inicia a tributação em 4,5%;
  • Tabelas III, IV e V – Para empresas de Serviços – Inicia a tributação entre 6% e 15,5% de acordo com a tabela.

Quem aderir a este modelo, pode optar por dois tipos de regime de apuração de receitas: Caixa ou Competência. 

Pelo regime de caixa, as receitas são consideradas somente por ocasião de seu efetivo recebimento, ou seja, são tributadas quando as receitas efetivamente são recebidas.

Pelo regime de competência, os valores que compõem esta base são determinados pelos valores auferidos no mês, ou seja, as notas fiscais emitidas no mês, independente do recebimento.

2. Processos

Para que você tenha um ambiente organizado de trabalho e consiga dar conta de todas as demandas, você precisa estruturar os seus processos. Ou seja, é necessário que você crie maneiras de identificar as suas demandas e o seu fluxo de processos.

Vamos pensar juntos: se você é um afiliado ou quer trabalhar nessa área, sabe que estudar nunca é demais. E é por esse motivo que você precisa entender o público que você trabalha e assim formatar uma comunicação direcionada.

Assim, a probabilidade de você ter sucesso no seu negócio é maior. Mas imagina só se você precisasse analisar todos os dias e repetir inúmeros processos todos os dias?

Não faria o menor sentido, não é mesmo? Além disso, você provavelmente ficaria preso às pequenas coisas e nunca sairia da estaca zero.

Por isso, a estrutura de processos é muito importante. Nada mais é do que organizar o seu trabalho e tarefas diárias, para que você não se perca.

Uma ferramenta que pode te ajudar nisso é o Trello. Nada mais é do que um gestor de tarefas e projetos com diversas utilidades. E uma vantagem muito importante é que você pode utilizar com outras pessoas. Ou seja, compartilhar o seu projeto com outros usuários, caso você tenha uma empresa.

3. Estrutura própria de trabalho

A estrutura própria é um ponto extremamente importante para quem quer ter a liberdade do seu negócio. Ou seja, você não precisa mais depender de terceiros para que a sua venda seja feita.

Este assunto já foi comentado algumas vezes aqui no nosso blog, mas é sempre bom repetir: depender de uma outra empresa para realizar o seu trabalho, pode ser uma perda de tempo e energia.

Pensando nisso, a dica mais valiosa é essa: procure montar a sua própria página de vendas. Assim, você não precisa depender de outra página.

Sendo assim, se caso ocorrer algum bloqueio em seu domínio, pode ser bem mais fácil de resolver. Se quer entender direito como ter a sua estrutura própria, temos um artigo completo para você. 

É isso! Ser um afiliado de sucesso depende muito do esforço e dedicação. Esperamos ter lhe ajudado!

Artigos relacionados