Pular para o conteúdo

O OKR é uma metodologia que possibilita a entrega de resultados através de objetivos chave. Assim, o livro “Avalie o que importa” do autor John Doer aborda este assunto alinhado a uma prática possível dentro das empresas e que gera um resultado consistente.

Avalie o que importa: Alinhando a teoria à prática

O best seller “Avalie o que Importa” mostra histórias de várias empresas que obtiveram êxito na utilização da metodologia OKR. Cada uma com suas particularidades e no seu tempo. De acordo com o livro, não existe dogma e nem jeito certo para a utilização da metodologia. OKRs são adaptáveis e é por isso que possuem um potencial muito grande.

Um erro que muitas pessoas cometem quando utilizam o OKR é limitá-lo a uma metodologia que auxilia na definição de metas. John Doerr deixa claro que o OKR é uma ferramenta que ajuda a empresa a se comunicar, medir e atingir metas elevadas. Partindo dessa definição, todos os processos que ocorrem durante os ciclos fazem sentido. A comunicação ocorre a partir dos check-ins semanais. A medição por meio do progresso e o atingimento das metas é uma consequência da boa execução e entendimento da metodologia.

O livro aponta várias características do OKR que beneficiam as empresas que o adotam. A transparência eleva o desempenho: as pessoas quando sabem a direção que estão indo e têm uma meta visível para alcançar se sentem mais motivadas. Empresas com funcionários alinhados têm mais que o dobro de probabilidade de apresentarem melhor desempenho. Em um sistema de OKRs, as críticas, sugestões e correções estão à mostra para o público. Além disso, existe a conexão de atividades do dia-a-dia à visão da organização.

Durante a leitura, percebi que vários fragmentos esclareceriam dúvidas de muitos utilizadores da metodologia. Em um desses, John Doerr afirma que OKRs precisam estar alinhados conforme quantidade e qualidade. Isso quer dizer que apenas metas numéricas que não irão trazer valor para o negócio, não fazem sentido. Portanto, é importante que elas sejam definidas com qualidade, visando entrega de valor.

prática

KR’S

Outra informação importante adquirida por meio da leitura é que KRs devem ser sucintos, específicos e mensuráveis. As pessoas precisam entender, sem margem para interpretações, o significado dos KRs de todos os departamentos. Além disso, é importante que o dono de um objetivo saiba exatamente como acompanhar sua evolução.

Um assunto que o livro também abordou foi sobre o CFR (Conversas, Feedback, Reconhecimento) que é o gerenciamento contínuo de desempenho. Trata-se de conversas, feedbacks e reconhecimento constantes aos seus liderados. Esse tipo de gerenciamento está sendo muito utilizado em empresas ágeis. Segundo Doerr, os CRFs iluminam os OKRs e os impulsionam. Eles compõem um sistema completo para avaliação do que importa.

A leitura do livro permitiu ter a percepção que implantar uma metodologia OKR não é algo trivial, requer muito esforço e comprometimento dos envolvidos. O grande desafio das empresas é manter as pessoas engajadas. Como o próprio autor afirma: À medida que as pessoas se familiarizam com o processo OKR, ele naturalmente se torna mais colaborativo”.

Artigos relacionados