Pular para o conteúdo
Dicas infalíveis para montar a sua carta de vendas

Você já imaginou como seria gerar milhões de reais em vendas usando apenas palavras?

Para alguns pode parecer exagero. Para outros, até mesmo mentira.

Mas a verdade é que se você é um bom copywriter, uma carta de vendas bem escrita pode se tornar uma verdadeira máquina de impressão de dinheiro.

Não estou exagerando! Se você tem dúvidas, pesquise sobre Gary Halbert e você descobrirá que ele recebeu US $5 milhões por uma única carta de vendas.

Gary Halbert é simplesmente um dos copywriters mais bem sucedidos do mercado.

E isso diz muito sobre o poder que uma boa carta de vendas tem para qualquer negócio.

Mas, antes de falarmos um pouco mais sobre essa “máquina de vendas”, você sabe o que é uma carta de vendas?

Se você não faz a menor ideia do que estou falando, continue lendo este artigo até o final para descobrir o que é uma carta de vendas e conhecer dicas infalíveis para montar a sua.

Vamos lá?

Carta de Vendas Gary Halbert

O que é uma carta de vendas?

A carta de vendas é uma das principais ferramentas para qualquer pessoa que deseja vender um produto.

Como o próprio nome diz, o seu objetivo é gerar vendas. Mas não de uma forma tradicional, como se fosse um vendedor tentando te empurrar um produto.

A carta de vendas deve “conversar com o cliente”, colocando-se no seu lugar mostrando compreensão sobre as suas dores, sentimentos e anseios.

Além disso, ela também mostra como o produto poderá ajudá-los a solucionar o seu problema ou a alcançar um objetivo, meta ou transformação em sua vida.

E, para isso, a carta de vendas deve responder e quebrar todas as objeções que o cliente possa ter em relação ao produto.

Por fim, a carta de vendas incentiva o leitor a tomar uma ação, seja ela a compra de um produto, inscrição em um evento, dentre outros.

A carta de vendas foi utilizada por décadas como uma das principais ferramentas de venda direta no mercado.

No início, ela realmente era escrita no formato de uma carta ao possível cliente.

Porém, ao longo do tempo, seu formato foi se adaptando às próprias mudanças do comportamento do consumidor.

Hoje, o mais próximo que temos do modelo antigo é a “página de vendas” de um produto.

Entretanto, os mesmos conceitos podem ser aplicados em um blog post, como este que você está lendo, em um e-mail marketing e até mesmo em formato de vídeo.

E sabe o que todos estes formatos têm em comum? Todos são “produzidos” utilizando as principais técnicas e ferramentas de escrita persuasiva, denominadas de copywriting.

Mas chega de história! Você quer mesmo é saber como produzir uma carta de vendas infalível, certo?

Então continue comigo que eu já te mostro!

Dicas infalíveis para montar uma carta de vendas

Antes de entrar nas dicas infalíveis para montar a sua carta de vendas, é preciso estudar e entender o público ao qual ela será dirigida.

Além disso, é importante também saber em qual estágio do funil de vendas ele se encontra.

Afinal, uma carta de vendas não precisa ser utilizada necessariamente para a compra.

Pode ser usada para se inscrever em um evento ou simplesmente conseguir um contato valioso do seu lead.

Portanto, vamos conferir as dicas.

Conheça o seu potencial cliente

Como dito anteriormente, é importante conhecer a fundo o seu potencial cliente.

Para isso, um passo essencial é estudar e definir a persona do seu negócio.

A carta de vendas vai conversar diretamente com essa pessoa.

Apesar de ser um texto único, o objetivo é justamente transformar a experiência de quem lê em uma verdadeira conversa.

Esclarecendo todas as dúvidas, quebrando todas as objeções e convidando essa pessoa a praticar uma ação.

Com uma persona bem definida, você terá todas as informações necessárias para produzir uma carta de vendas altamente eficaz.

Será como vender para um amigo próximo.

Venda, mas também informe

O comportamento natural do ser humano é levantar as suas defesas sempre que se depara com qualquer peça de comunicação empurrando um produto de forma bem direta.

Quantas vezes você não fechou um popup ou excluiu um e-mail de ofertas?

Ou quando foi a última vez que você prestou atenção em um banner de site?

Isso é normal.

Todos nós temos essa barreira anti-propaganda.

Com a carta de vendas não é diferente.

Entretanto, para que você não perca a atenção do seu possível cliente logo nas primeiras linhas, você deve oferecer informações e esclarecimento antes de entrar com a oferta em si.

No tópico anterior eu te falei que a carta de vendas deve “conversar” com o seu cliente.

E, quando conversamos com alguém, não tentamos vender algo imediatamente, certo?

Mesmo um vendedor de loja, antes de qualquer coisa, tenta criar uma conexão com o cliente para que o processo de venda ocorra da melhor maneira possível.

Existe toda uma “jornada” antes de confirmar a venda.

Não deixe nenhuma dúvida sobre o que você está vendendo

As cartas de vendas mais bem sucedidas da história tinham uma coisa em comum: apesar do objetivo final ser a venda, todas elas também esclareciam, informavam e quebravam as objeções do leitor.

É importante deixar claro que você entende as dores do leitor, mostrar que existe uma solução para elas, apresentar o produto e, acima de tudo, a transformação que ele opera.

Para chegar à venda, é preciso quebrar uma por uma as barreiras que o leitor cria em sua mente.

Sempre haverá um motivo para não comprar o seu produto e, ao invés de forçar a venda, mostre argumentos, fatos, comprovações e benefícios.

Se ao final da sua carta de vendas o leitor não tiver nenhuma dúvida sobre o produto, pode ter certeza que ele realizará a compra.

Elimine todas as objeções

No tópico acima você leu sobre as objeções do cliente, certo?

Objeção é todo e qualquer motivo que as pessoas tem para não comprar o seu produto.

Podemos resumir em quatro grandes motivos principais:

O cliente não está interessado no seu produto

O primeiro grande motivo de alguém não comprar o seu produto é que o cliente simplesmente não está interessado naquilo.

Por isso, é importante que a sua carta de vendas seja produzida pensando na sua persona.

Em um exemplo muito simples, usado pelo Jeff Walker no livro A Fórmula do Lançamento, imagine tentar vender a melhor e mais perfeita cadeira de rodas para uma pessoa que simplesmente não precisa de uma?

A pessoa realmente não estará interessada nem disposta a gastar dinheiro com esse produto.

Falta de dinheiro

O segundo grande motivo de alguém não comprar um produto é a falta de dinheiro.

Não é que a sua oferta não esteja adequada ou os seus argumentos não sejam bons, se a pessoa não tem dinheiro, é realmente impossível comprar qualquer coisa.

O seu possível cliente não acredita em você

O terceiro grande motivo de alguém não comprar o seu produto, é que essa pessoa não acredita em você ou na mudança que esse produto fará na vida dela.

E, para que as pessoas acreditem em você, é preciso criar e conquistar autoridade.

Mostrar e apresentar fatos que comprovem a veracidade dos resultados que um produto oferece.

O cliente acredita em você e no produto, mas não acredita que funcionará para si mesmo

Por fim, o último grande motivo de um cliente não comprar um produto, é não acreditar que a mudança positiva acontecerá no seu caso específico.

Ao contrário do terceiro motivo, o cliente acredita em você e na mudança, porém, ele tem certeza de que o mesmo não acontecerá com ele.

Uma boa carta de vendas mostra que sim, o seu produto vai operar a mudança.

E o copywriter deve mostrar isso através da identificação, entendendo as dores e mostrando de forma simples e clara que é possível solucionar o problema em todos os casos.

Outras objeções

As outras objeções são pontuais e totalmente relacionadas ao produto em si.

Mas você deve estar se perguntando como identificar as objeções de um cliente, certo?

Bom, como reforçamos sempre, conhecer a persona é essencial para se ter uma ideia de quais são essas objeções.

As demais vão surgir através de pesquisas, conversas e comentários dos próprios possíveis clientes.

Se você está pensando em lançar um produto e precisa criar uma carta de vendas, que tal fazer uma pesquisa?

Abrir uma caixinha de perguntas no Instagram?

São os próprios clientes que vão te contar as suas principais objeções e, na sua carta de vendas, você vai derrubar cada uma delas.

Utilize técnicas de copywriting

Os bons redatores de cartas de vendas são chamados de copywriters e, o copywriting nada mais é que a união de várias técnicas de escrita persuasiva.

Portanto, antes de começar a escrever a sua carta de vendas, é preciso estudar um pouco sobre os principais conceitos de copywriting.

Para se aprofundar um pouco mais neste assunto, você pode ler alguns dos nossos artigos sobre Copywriting aqui no blog da Monetizze.

Separei alguns deles logo abaixo.

Dicas para criar um copy campeão de vendas

Tudo o que você precisa saber para montar uma copy de sucesso

Veja os principais copy motivators

6 gatilhos mentais que irão mudar a forma como você vende seus produtos

Além dessas dicas, é preciso também pensar no Storytelling.

Ou seja, a sua carta de vendas deve contar uma história, criar conexão com o seu possível cliente, tirar as suas dúvidas e levá-lo a fazer a compra.

Por fim, também é importante pensar  na “jornada de leitura” do cliente.

Você precisa transformar a leitura da sua carta de vendas em algo fácil para o seu potencial cliente.

Escreva sentenças curtas e use palavras simples, que sejam familiares para a sua persona.

Quanto mais curto, mais direto e simples.

Pense também na “escaneabilidade”, destacando os pontos importantes no seu texto e oferecendo âncoras através de títulos e subtítulos.

Todos esses conceitos juntos e bem amarrados, tem o potencial de transformar a sua carta de vendas em uma verdadeira máquina de dinheiro.

Chamada para a ação

Você pode escrever a melhor carta de vendas do mundo, mas se ela não chamar o cliente para realizar uma ação, todo o seu esforço será em vão!

Portanto, nunca esqueça de colocar o CTA (call to action) ou Chamada para a Ação ao final da sua carta ou página de vendas.

É através dela que o seu cliente vai realizar a compra do produto.

Teste os seus argumentos e melhore sempre

Por fim, é importante testar a sua carta de vendas, coletar dados e interpretar cada um deles para saber se ela está funcionando.

Verifique se os argumentos estão sólidos e coerentes com a promessa e a oferta do seu produto.

Analise os dados de Analytics para saber se os usuários estão abandonando a sua página ou quais são as áreas em que eles estão concentrando a leitura.

Todos esses pontos são importantes para você ajustar o seu conteúdo, seja a localização de um botão ou um tipo de palavra usado.

Analisar, interpretar e testar é um ciclo eterno para quem trabalha com vendas pela internet.

Conclusão

Construir uma carta de vendas de sucesso é um desafio. Dificilmente você vai acertar na sua primeira tentativa. Mas não se desanime com isso.

Se você seguir as dicas apresentadas neste artigo, você já terá pelo menos uma boa base para começar a aplicar.

Estudar copywriting é importante para quem deseja construir páginas de vendas cada vez mais profissionais, portanto, use e abuse dos nossos conteúdos.

Se este artigo te ajudou, compartilhe com seus amigos!

Artigos relacionados