Pular para o conteúdo
Primeira venda como afiliado: saiba tudo para fazer a sua

O mercado de afiliados é composto por produtores e, claro, afiliados. Os produtores são aqueles que irão criar um produto e cadastrar na plataforma, já os afiliados são aqueles que irão se afiliar a esse produto e realizar vendas para ganhar a comissão. Mas, realizar a primeira venda como afiliado pode ser um desafio se você não sabe por onde começar, como divulgar ou até mesmo para quem divulgar.

A realização da primeira venda como afiliado é o sonho de todos que ingressam nesse mercado. Mas, o que poucos sabem é que para realizar a primeira venda é preciso muita dedicação e estudo.

E, claro, você quer realizar muito mais do que apenas uma venda, não é? Bom, se esse é o seu objetivo e já quer começar registrando a 1ª de todas, continue lendo esse post. 💙

Primeira venda como afiliado: saiba tudo para fazer a sua

O mercado de afiliados é realmente incrível e bastante promissor, e você já deve ter ouvido histórias de pessoas comuns que abandonaram os seus empregos convencionais para viverem da renda que a venda de produtos pela internet pode oferecer.

Entretanto, para quem não está muito familiarizado com o marketing digital, conseguir fazer a sua primeira venda como afiliado pode parecer um pouco complicado.

Nós sabemos que você está ansioso para decolar de vez neste mercado e começar a faturar uma renda extra ou fazer disso sua única renda. 

Pensando em te ajudar, nós preparamos um passo a passo que vai mostrar em detalhes tudo o que você precisa saber para conquistar a sua primeira venda e se tornar um afiliado de sucesso.

E, ao final deste tutorial, você verá que nem tudo é tão complicado quanto parece. 🙂

Vamos lá?

Afinal, o que faz um afiliado?

Quem nasceu ou viveu nas décadas de 80 e 90, deve lembrar das revendedoras de cosméticos. Eram pessoas que batiam de porta em porta para revenderem produtos de grandes marcas e, em troca disso, recebiam uma comissão por cada venda realizada.

Contudo, as pessoas que exerciam essa atividade se deparavam com uma limitação. 

Imagine só: se uma revendedora levava, em média, 1 hora para atender 1 cliente, no final do dia, sem tirar as horas de sono, necessidades pessoais, dentre outros, seria possível atender apenas 24 clientes.

O avanço da tecnologia, entretanto, permitiu que essa modalidade de trabalho fosse levada a outro nível. Atualmente, é possível revender produtos na internet de uma forma como nunca visto antes. 

Hoje, é possível atender milhares de clientes ao mesmo tempo, além de que já não é mais necessário bater de porta em porta para conseguir revender os produtos.

Então, neste cenário, é que surge a figura do afiliado. Ele é um empreendedor digital que divulga os produtos de grandes empresas na internet através de um link. Daí, como recompensa, ele recebe uma boa comissão por cada venda que consegue fazer.

Bom, agora que você já sabe o que um afiliado faz, chega de amarras! Vamos ao passo a passo que vai te guiar rumo à sua primeira venda! 🤑

Primeiro passo: escolhendo um produto para se afiliar

Muito se engana quem pensa que a escolha do produto para se afiliar ocorre de forma aleatória. Na verdade, essa é uma etapa fundamental e que, com certeza, influenciará no seu desempenho.

Existem algumas dicas que você deve observar na hora de escolher um produto para se afiliar. Do contrário, você poderá encontrar dificuldades na hora de fazer a venda e não conseguir atingir os resultados que você deseja. Confira algumas dessas dicas:

Tipo de Produto

Você poderá vender tanto produtos digitais quanto produtos físicos. Os produtos digitais, também chamados de infoprodutos, são aqueles que ficam armazenados em um ambiente digital e não conseguimos tocá-los. 

Podemos citar como exemplo de produtos digitais os e-books, cursos online, videoaulas e muito mais. Já os produtos físicos são aqueles que, normalmente, recebemos em casa e que podemos ter um contato com as mãos. 

São exemplos de produtos físicos: suplementos alimentares, aparelhos eletrônicos, cosméticos, entre outros.

Sazonalidade

Entender o contexto em que a venda é feita é fundamental no momento em que você for escolher um produto para se afiliar. Isso te ajudará a compreender com qual recorrência você poderá vender o produto. 

Estações do ano e datas comemorativas podem influenciar diretamente nisso. As chances de você conseguir melhores resultados serão muito maiores, caso você decida vender, por exemplo, um pote de cápsulas emagrecedoras no verão, uma vez que nessa época do ano há uma maior procura por este tipo de produto.

Afinidade com o produto

Você conseguirá criar boas técnicas de vendas se você conhecer bem o produto que está vendendo. Isto é, você terá muito mais facilidade para convencer os seus potenciais consumidores caso você já domine o assunto sobre o produto. 

Por exemplo, se você é fã de academia, musculação e alimentação saudável, o recomendável é que você venda produtos desse nicho, como suplementos alimentares, consultorias fitness, entre outros.

Número de BARs

Este é um ranking dos produtos com as melhores performances de vendas e faturamento. Quanto maior o número de BARs, as estrelinhas azuis logo abaixo do produto, no Menu Loja, melhor o desempenho de vendas e faturamento deste produto. 

Não se engane pensando que produtos com poucas BARs são produtos ruins. Pode ser que eles tenham sido cadastrados recentemente ou ainda não tiveram a sua melhor fase de vendas. 

Na verdade, produtos com menos BARs tendem a ter menos afiliados, logo a concorrência será menor para você.

Material de Divulgação

Verifique se o produtor disponibiliza materiais para você divulgar o produto além da página de vendas. Outros materiais como imagens, vídeos, textos, e-mails e etc, podem te ajudar a ter uma ideia de como a divulgação do produto deve ser feita.

Tempo de Cookie

Esse item indica o tempo que vai durar a indicação de venda originada de um afiliado. Suponha que o produtor tenha configurado o Tempo de Cookie por 6 meses. 

Nesta hipótese, você só receberá a comissão caso a venda seja feita em até 6 meses após você ter feito a indicação do produto para alguém comprar.

Forma de Comissionamento

Verifique como o produtor configurou a forma de comissionamento para os afiliados. Em alguns casos, o consumidor toma conhecimento do produto através de um afiliado, mas acaba comprando o produto através de outro. 

Nesta hipótese, apenas o primeiro afiliado pode ser comissionado, ou apenas o segundo afiliado, ou até mesmo ambos.

Valor da Comissão

Verifique quanto o produtor está disposto a te pagar de comissão por cada venda que você fizer. Ficará ao seu critério escolher qual valor de comissão é melhor para você e para os objetivos que você pretende alcançar.

Suporte ao produto

É muito importante que você verifique se o produto que você está se afiliando possui um bom suporte, com contatos disponíveis para facilitar a comunicação.

Se você vê que um determinado produto não possui um bom suporte por parte do produtor, isso pode acabar sendo um problema caso precise entrar em contato para resolver alguma questão ou até mesmo trocar informações sobre o produto ou vendas.

Segundo passo: entendendo alguns conceitos de marketing digital

Antes de te ensinarmos, efetivamente, a como fazer a sua primeira venda, vamos recapitular alguns conceitos básicos de marketing digital.

É importante que você estude e guarde estes conceitos, pois falaremos muito neles daqui em diante. Combinado?

Persona

Para te explicar o que é persona e como você pode usar ela a favor das suas vendas, vamos te propor um teste.

Imagine que, agora como afiliado de um produto de emagrecimento, você precisa vendê-lo para dois clientes em potencial. Um deles é um simples desconhecido. O outro é seu melhor amigo desde a infância. Nesta situação, para quem seria mais fácil vender o produto? Escolha uma das alternativas:

  1. A) Para o seu melhor amigo.
  2. B) Para o desconhecido.

É um teste meio óbvio, sabemos. Seria muito mais fácil vender para o seu melhor amigo do que para um desconhecido qualquer. E isso acontece porque você o conhece bem e sabe quais argumentos são melhores para convencê-lo a comprar o seu produto.

No marketing digital, não é diferente. Quando se conhece bem o cliente, muito mais fácil se torna a venda. E uma maneira de conhecer a fundo quem compra de você é criando uma persona.

De modo geral, as pessoas que compram um determinado produto ou serviço possuem algumas características em comum, como:

  1. perfil demográfico e social (idade, gênero, onde mora, dentre outros.);
  2. hábitos e comportamentos (rotina diária, hobbies e outras atividades);
  3. o que pensam sobre a vida (motivações, posicionamento político, crenças, religião, outros);
  4. as suas dores e necessidades (desejos, anseios, vontades, preocupações e desafios);
  5. mídias que costuma utilizar (e-mail, redes sociais, blog, sites, entre outros).

A persona, portanto, nada mais é do que o documento que contém as principais características em comuns entre os seus consumidores, como essas que acabamos de citar. 

Trata-se de um documento que melhor representa o perfil do seu cliente e que deve sempre ser observado na hora de traçar as estratégias de vendas e de comunicação.

Copywriting

Para você entender o que é copywriting, vamos aplicar outro teste usando o mesmo contexto do exemplo dado acima. Vamos lá? 🙂

Agora, imagine que você está prestes a finalizar a venda, mas o seu cliente ainda tem certa resistência em comprar o produto. Quais dos argumentos abaixo você poderia usar para convencê-lo de uma vez por todas?

  1. A) Dizer que aquele seria o último produto em estoque.
  2. B) Dizer que o preço do produto poderia subir no dia seguinte.
  3. C) Dizer que muitas pessoas estão comprando o produto e estão felizes com a compra.
  4. D) Usar todos os argumentos anteriores.

Bem, se você apostou na alternativa D, está de parabéns! Agora, vamos entender porque todos estes argumentos funcionam tão bem:

Na alternativa A, ao dizer que não havia mais daquele produto em estoque, você provocou um sentimento de escassez no cliente, como se aquela fosse uma oportunidade única.

Na alternativa B, ao dizer que o preço poderia sofrer aumento, você despertou um sentimento de urgência no comprador, como se aquela fosse a última chance para comprar o produto com um preço menor.

Na alternativa C, ao dizer que outras pessoas compraram e aprovaram, você conseguiu, com uma prova social, demonstrar a credibilidade do produto.

E onde entra o copywriting nessa história? O copywriting pode ser entendido como um conjunto de técnicas de persuasão escrita. E entre estas técnicas, estão algumas como estas que citamos logo acima (estimular a escassez, a urgência e a prova social), as quais chamamos de gatilhos mentais.

Aplicar copy ao escrever os seus argumentos de venda, com toda certeza, te trará resultados muito melhores.

Terceiro passo: atraindo pessoas para comprar o seu produto

As vendas ocorrerão, naturalmente, quando você conseguir atrair visitantes para os seus canais de vendas. 

No marketing digital, existem, basicamente, duas formas de atrair novos visitantes: através da aquisição de tráfego orgânico e da aquisição de tráfego pago. E é isso que vamos te ensinar de agora em diante. Preparado?

Tráfego Orgânico

Durante muito tempo, as empresas precisavam gastar com anúncios na internet para chamar a atenção e atrair novos clientes.

Contudo, com a evolução natural do marketing digital, percebeu-se que existem outras formas de alcançar as pessoas através da internet.

Portanto, tráfego orgânico são todas aquelas visitas que você consegue de forma espontânea e sem ter que gastar do seu dinheiro com anúncios.

Basicamente, existem algumas formas de gerar tráfego orgânico. A mais importante delas é através da produção de conteúdo.

Vamos te explicar.

Se a sua persona procura por produtos de emagrecimento, por exemplo, é bem provável que ela também procure por conteúdo que fale sobre alimentação saudável, exercícios físicos e formas alternativas de emagrecer. Concorda?

E como você já sabe quais os canais de comunicação que a sua persona geralmente usa, tudo que você precisa fazer é produzir conteúdo que seja relevante para ela nestes canais.

Assim, quando ela procurar por este tipo de conteúdo na internet, simplesmente encontrará você. 

Mas, claro, para que você consiga esses resultados é importante que você conheça o seu público. Tendo as informações necessárias, como onde encontrá-lo, as formas de conteúdo que preferem, entre outras, você conseguirá criar uma estratégia certeira com a sua persona.

Ah, e cuidado! Muitos criadores de conteúdo iniciantes erram na hora de criar os seus materiais. Isso porque eles querem “empurrar” a venda logo de cara e não é assim que funciona.

Para que o seu conteúdo orgânico chegue a gerar uma venda, ele precisará passar por todo o funil de vendas. Essa persona que acessou o seu conteúdo pode se interessar e procurar saber mais e acabar se tornando um lead. Assim, ele se torna um possível cliente. Viu só? Vai muito além de criar conteúdo e vender.

Abaixo, falaremos brevemente como você pode produzir conteúdo para esse público em alguns dos canais mais utilizados.

Blog

Muitas pessoas subestimam o poder que essa ferramenta pode ter. Mas, na verdade, para que você possa garantir as primeiras colocações nos resultados de pesquisa do Google, é indispensável que você tenha um blog.

O Google possui um mecanismo que consegue fazer uma leitura de seu blog. Daí, aplicando algumas técnicas de SEO, como essas que explicamos neste post, as chances são grandes dele ocupar o topo das pesquisas.

Outra vantagem é que manter um blog demanda pouquíssimo investimento e ainda suporta vários formatos de mídia, além do texto.

Facebook

No Facebook, o ideal é que você crie uma página específica para o seu negócio. Se você ainda não sabe como fazer isso, o próprio Facebook te ensina como fazer. É bem simples!

São várias as vantagens de se ter uma página nessa rede, pois além de te conectar ao seu público, ela permite que você publique conteúdo relevante e em vários formatos, como textos, imagens, vídeos, áudios, infográficos e etc.

Instagram

No Instagram, você deverá investir no visual. Afinal de contas, essa rede social foi criada pensando no compartilhamento de fotos. A dica é que você utilize imagens de boa qualidade para conseguir a atenção de seu público.

Outra dica bastante valiosa é que você use a sua criatividade nos Stories. Pesquisas apontam que essa é uma ferramenta que vem crescendo e sendo utilizada cada dia mais pelos usuários. 

Se você quer extrair o máximo de valor que essa rede social pode oferecer, a última dica que deixamos é que você leia este post. Nele, além de aprender como configurar a sua loja online dentro da própria rede, você vai aprender a utilizar várias outras ferramentas.

YouTube

Você sabia que o YouTube é a 2ª maior ferramenta de pesquisas na internet? Pois é, ele fica atrás apenas do Google neste segmento. Portanto, estar presente nessa rede social é igualmente importante para que o seu público consiga te encontrar.

A dica é que você produza conteúdo para entreter e educar o seu público. Além disso, é importante que você publique este conteúdo com certa frequência e explore o poder das marcações e das hashtags nele. Quanto mais você fizer isso, maiores as chances de você ser encontrado e aumentar a sua audiência.

Além disso, o vídeo inserido dentro de um post de blog fornece pontos positivos para o Google mostrar esse post nas primeiras posições se ele estiver alinhado com a sua pesquisa. 

Então, o Blog acompanhado do Youtube é uma combinação bem legal para você iniciar a sua estratégia de vendas pela internet.

WhatsApp

Muita gente ainda não sabe, mas é possível ter ótimos resultados de vendas através do WhatsApp. Entretanto, é importante que você tome cuidado para não ser invasivo ao utilizar essa rede.

Mas, se você quiser ter um excelente retorno utilizando essa ferramenta, a dica é que você explore ainda mais a sua criatividade e crie mensagens personalizadas para cada pessoa que você for entrar em contato.

Evite enviar mensagens em massa e criar grupos que não contribuirão para engajar o seu público. É importante que você não ignore as dúvidas e dê suporte ao seu público sempre quando for solicitado.

E-mail Marketing

Um estudo feito pela Adobe aponta que 58% do público prefere receber conteúdo através de e-mail do que por outros meios. 

Portanto, o serviço de e-mail é uma excelente ferramenta para você se conectar ao seu público e, ainda, conseguir otimizar as suas vendas.

Tráfego Pago

Até aqui, nós te mostramos alguns canais gratuitos ou que demandam baixo investimento financeiro para você produzir conteúdo e atrair novos clientes. Entretanto, é importante que você invista em uma estratégia de anúncios pagos também.

Isto porque eles podem lhe trazer resultados mais rápidos do que qualquer outra estratégia de atração de novos visitantes.

Você pode utilizar os anúncios para direcionar os seus potenciais clientes para a página de vendas do seu produto. Se preferir, você também pode utilizá-los para direcionar para um pré-sell, uma página que antecede uma página de vendas, como um Advertorial por exemplo.

Advertorial são artigos feitos propositalmente para canais de notícias vendendo um produto de forma indireta. Com certeza, você já deve ter lido algum advertorial em grandes portais de notícias, certo?

Basicamente, os anúncios pagos podem ser feitos através de plataformas como o Google Ads, Facebook Ads e várias outras, como YouTube e Taboola.

Entretanto, a plataforma que tem gerado melhores resultados para afiliados é o Facebook Ads. Nela, você pode segmentar o seu público por preferências, idade, região geográfica entre várias outras possibilidades. Você pode acessar a Central de Ajuda do Anunciante para aprender os primeiros passos para configurar os seus anúncios na plataforma.

É válido você aprender que todo anúncio possui uma estrutura básica: criativo, headline, descrição e call to action. E é isso que te ensinaremos a seguir.

Criativo

O criativo, nada mais é, do que a imagem que aparecerá no seu anúncio. Portanto, é fundamental que você escolha uma imagem que chame a atenção. Do contrário, o seu anúncio poderá passar despercebido quando as pessoas rolarem o feed de notícias, que é onde o seu anúncio aparecerá para elas. 

O ideal é que você use imagens com cores fortes e que contrastem com as cores do Facebook, o azul e o branco.

É importante, também, que você respeite algumas regras que o próprio Facebook estabelece, como não utilizar imagens que possuam mais de 20% de texto ou que possuam setas e botões.

Headline

A headline é o título do seu anúncio. Por analogia, ela funciona como uma manchete de um jornal. Portanto, será a headline a responsável por despertar o interesse nas pessoas e fazer com que elas parem para ler a descrição do seu anúncio.

Sendo assim, o ideal é que você aplique na headline algumas técnicas que você aprendeu sobre copywriting, como aquelas que te mostramos anteriormente. Isso tornará o seu anúncio persuasivo o suficiente para que as pessoas tirem parte do seu tempo para prestar atenção no que você tem a oferecer.

Descrição

Na descrição, você tem uma boa oportunidade de deixar claro a oferta por trás do seu anúncio. Portanto, evidencie nele para quem o seu produto é direcionado, as suas principais características, qual necessidade ele resolve, bem como quais as consequências de não resolver essa necessidade.

Assim como na headline, você também deve usar o copywriting para criar uma descrição ainda mais persuasiva, de modo com que as pessoas sintam desejo em comprar o seu produto.

Call to action (Chamada para ação)

Bom, agora que você já viu como despertar a atenção, o interesse e o desejo com o seu anúncio, é bom que você tenha nele um botão que leve as pessoas para uma ação que, no caso, será a compra do seu produto. O próprio Facebook permite que você escolha um botão para colocar no seu anúncio.

Quarto passo: teste as suas estratégias e mensure os resultados

Pois bem, até aqui você aprendeu que tudo que você precisa para conquistar a sua primeira venda como afiliado é:

  1. Escolher bem o produto que você irá vender;
  2. Estudar algumas técnicas de marketing digital;
  3. Atrair visitantes para a página de vendas através da produção de conteúdo e de anúncios.

É importante que você entenda que, no marketing digital, não há uma fórmula pronta para fazer vendas. O que pode dar certo para um não necessariamente poderá dar certo para você, ok?

Portanto, é fundamental que você valide as suas estratégias, medindo o que elas proporcionaram de resultados. Só assim você saberá se deve mantê-las ou seguir por um caminho diferente.

No marketing digital, é comum a cultura de testes. Repetindo, não há um método garantido para fazer muitas vendas e conquistar o sucesso. O único meio de saber o que é bom ou não para você, ou o que faz ou não faz sentido para o seu negócio, é testando e mensurando os resultados para comparar uma estratégia com a outra.

Uma das principais métricas no marketing digital é o ROI, que é basicamente um indicador de lucratividade sobre o dinheiro que você investiu. Medir essa métrica, dentre outras, ajudará você a seguir estratégias mais certeiras para o seu negócio.

Conclusão

Lembra que te dissemos que o marketing digital não é tão complicado quanto parece?

Podemos apostar que agora você deve estar ansioso para colocar todas estas estratégias em prática e atingir bons resultados com elas, não é mesmo?

Uma dica que pode te fazer entender tudo sobre este mercado e te impulsionar nas vendas digitais é obter conhecimento com os melhores do mercado. Até porque, nada melhor do que se inspirar nas referências do mercado.

Nós estamos ansiosos para ver você fazendo sucesso. Portanto, para o que você precisar, sempre conte conosco! 🙂

Boas vendas!

Escola Monetizze

 

Por: Data da publicação:

Artigos relacionados